November 26, 2008

absurdidades pt. 2 (ou o meu emo é outro)

«(...) Bruno Vasconcelos Lima concluiu que os emos se emocionam com coisas consideradas banais por outros, como chorar a ouvir músicas sentimentais. “São encarados como depressivos, suicidas em potência e vistos, de forma geral, como homossexuais. São alvo de constantes preconceitos e opressões de outros grupos juvenis, como punks e skaters. É comum vermos emos do mesmo sexo a andar de mãos dadas, assim como a trocar beijos e carícias, demonstrando relações de carinho em locais de grande circulação de pessoas.” (...) A juntar a isto, há que considerar a forma como falam e comunicam entre si – usam diminutivos, substituem as palavras com ‘s’ por palavrax com ‘x’ e utilizam termos como ‘cutxiii’, ‘fofi’ ou ‘marida’.»
(Sou emo, e depois?” in Visão #820)

*Ms. Oaktree rebola no chão a rir.*

*Ms. Oaktree reflecte melhor acerca do artigo que acabou de ler, e sente uma profunda indignação ao pensar em bandas como Braid, Bob Tilton, Baby Harp Seal, Hoover, Schema, Rites of Spring, Cap'n Jazz, Split Lip, Ashes, Embrace... And the list goes on and on.*

*Ms. Oaktree acaba por sentir uma tristeza imensa, ao constatar que a juventude está realmente perdida.*

(Voz-off: A Ms. Oaktree está a ficar velha e sem pachorra para estas merdas.)

absurdidades pt. 1

Não sei se me sinta ofendida ou agradada por ver Pyramids (?!?!?), Gang Gang Dance, Fuck Buttons e Why? no top dos melhores discos de 2008 da Blitz.

Aqui.

November 24, 2008

sim, é por isso que eles se chamam lightning bolt






relâmpago s.m. 1 clarão súbito e rápido, resultante da descarga eléctrica entre duas nuvens ou entre uma nuvem e a Terra 2 fig. irradiação intensa e rápida
Eu própria não teria dito melhor que os senhores do Priberam, que, quase aposto, nunca na vida terão assistido a um concerto dos Lightning Bolt.
Como qualquer trovoada que se preze, foi verdadeiramente brutal e avassalador!



Stellar Om Source na primeira parte foi muito curto. Soube a pouco. Talvez um set mais longo acabasse por se tornar monótono. Ainda assim, gostava de ter essa experiência.

Uma vénia profunda à ZdB, não só por terem tido ângulo de visão para promover mais um concerto fabuloso, mas também pela excelente escolha do espaço. Não obstante as minhas reservas/receios, tive uma agradável surpresa com o piso -5 do parque de estacionamento do Camões: nada de cheiros a gases de escape, nada de suores desmesurados, nada de apertos desumanos, nada de péssima qualidade de som. Apenas uma grande noite em toda a linha.

a minha lista é melhor do que a tua lista e a minha banda é melhor do que a tua banda e o meu pai é maior do que o teu pai

Ainda nem a Dezembro chegámos e já começou a febre das listas. Quase como os preparativos natalícios nos estabelecimentos comerciais deste país: começam cada vez mais cedo. Está certo, é a crise!
Numa altura em que ainda tenho um montinho considerável de discos de 2008 por ouvir em cima da minha estante, já há quem se tenha decidido irreversivelmente quanto aos melhores do ano. Como é hábito, não vou estar aqui a pôr a carroça à frente dos bois.

Mas que me agradam as listas verdadeiramente democráticas, ai isso agradam.
O Stereogum, em colaboração com o Videogum, lançou recentemente os seus Gummy Awards para 2008. Por sua vez, o Drowned In Sound numa parceria com a Rough Trade pede a colaboração dos seus leitores para votarem no People's Voice Prize.
Vá... Ide. Ide cumprir o vosso dever cívico e votai.

novidades dos isis

O scenepointblank dá a notícia. Os Isis falam do seu novo disco de originais, de uma gravação ao vivo e dos planos para a digressão. Passo a citar:

«Well, so far, so good! We're a little over half way done tracking our new record. It's nice to hear the songs beginning to really come together. Everyone has been doing a great job and we think it's all going to make for one hell of a record. Working with Joe has been a really cool experience. He has a great ear, provides a very comfortable and creative environment, and seems to really understand what we're after. Decibel came by last week to do a studio report that we believe will be out in January 09, as well as an interview with Jeff in Rock Sound that should be out sometime soon. More pictures and videos to come as we have a few interesting things in the works.

Speaking of "in the works," we'll have "Live V" CD available soon. This one will contain "Oceanic Live from ATP." We were hoping to release this as a live DVD, but we didn't feel the video footage was up to our standards. The audio on the other hand is a full multi-track recording of the entire Oceanic album live, mixed by Justin Broadrick. More on that soon!

Only a couple more weeks until we take a break from the studio and head over to the UK for ATP Nightmare Before Christmas Festival hosted by MELVINS and MIKE PATTON. We're even staying an extra day to try and catch as much of the line up that we can. It's pretty killer! We'll also be taking advantage of our time over there by playing some of our own shows. Please check the show listings on the main page for more details.


We'd also like to mention that Jeff "The Pork" Caxide contributes on two tracks of the new spylacopa ep. To listen go to: www.myspace.com/spylacopa.


All in all, I think we can sum the whole thing up by saying we're pretty excited! A new president, a new record, a tour, a new live cd, and soon a new year and era in this thing called ISIS. We hope you're on board!»


Falando ainda de Isis, o Sr. Turner teve a amabilidade de engendrar uma mixtape para o Drowned In Sound, que poderá ser conferida aqui.

a ms. oaktree também diz para ires

Kill Me Tomorrow + I Had Plans @ Espaço Interpress (Bairro Alto), 11 de Dezembro, 20h (6€)

November 23, 2008

a melhor banda de rock portuguesa

Bunnyranch ao vivo na Fnac do Chiado (21.11.2008)



"Sometimes It's Hard"

sapatos vermelhos só há uns, vermelho-sangue e mais nenhuns

Blood Red Shoes ao vivo no Santiago Alquimista (20.11.2008)

"Try Harder"


"Doesn’t Matter Much"


Novo tema


"It Is Happening Again"


"This Is Not for You"


"ADHD"

November 19, 2008

... e continuando a falar de concertos...

Desta feita são os The Dodos que vão trazer as suas lindas canções para animar a malta aqui no jardinzinho à beira mar plantado. Acontece a 5 de Dezembro no Salão Brazil, em Coimbra, e no dia seguinte no MusicBox, em Lisboa.
Toma lá, Primavera Club!... E toma lá, Ms. Oaktree, que dia 6 vais estar no Porto a ver Zach Hill!

(Pensamento positivo: É da forma que se poupa o dinheiro do bilhete.)

November 18, 2008

por falar em concertos...

Nadja também em Lisboa, na ZdB a dia 4 de Dezembro.
Mas desta vez não me convencem, Nadja é dia 5 na Fábrica de Som. Toma lá!

atenção, atenção!...

O concerto de Lightning Bolt com Stellar Om Source mudou de sítio. Em vez da ZdB, este irá ter lugar no parque de estacionamento subterrâneo do Camões, no piso -5.
Cheira-me que a noite do próximo domingo me vai cheirar muito mal. Esperemos que não vire moda.

(A boa notícia a emergir daqui é que irá haver mais bilhetes à venda, dado a lotação deste espaço ser superior à do 'aquário' da ZdB.)

November 17, 2008

\oo/


Intronaut - "Australopithecus"

something to write home about #25

Gods & Queens

Não há que enganar, banda que cite como referências Unwound e Hoover só pode ser coisa boa.
É o caso destes Gods & Queens que, para além de serem liderados por Jamie Getz, dos já extintos Lickgoldensky e Versoma (vénia!), puseram o seu recente álbum de estreia nas mãos dos mui excelentíssimos Jason LaFarge (Angels of Light, Khanate, Akron/Family) e Nick Zampiello (Isis, Torche, Jesu, Converge). Tudo boa gente, portanto.
O brooklynvegan já os descobriu, a Rock Sound também. Até eu já os descobri... E vós, do que estais à espera?

MySpace
Downloads aqui

November 15, 2008

notas musicais avulsas #14 - edição especial festivais estrangeiros

Ahh, o estrangeiro!... Essa terra mágico-maravilhosa onde as pessoas são felizes e vivem bem, e onde há festivais de qualidade em barda.
Eis alguns que interferem com o meu sistema nervoso e me tiram do sério. Por ordem cronológica...


ATP THE NIGHTMARE BEFORE CHRISTMAS - curated by Melvins & Mike Patton

Onde? Em Inglaterra, no Butlins Holiday Resort em Minehead.
Quando? De 5 a 7 de Dezembro deste ano.
Quanto custa? £150 ou £160, mais taxas. Inclui alojamento sem cozinha nem sala-de-estar ou com cozinha e sala-de-estar, respectivamente.
Quem lá toca? Fantômas performing The Director's Cut, Farmers Market, Isis, Neil Hamburger, Bernard Parmegiani, Butthole Surfers, J.G. Thirlwell's Manorexia, Bohren und der Club of Gore, Kill Me Tomorrow, The Dirtbombs, Big Business, Zu, The Locust, Torche, Melvins, Squarepusher, The Black Heart Procession, Dälek, Leila, Mastodon, James Blood Ulmer, The Damned, White Noise, Soulsavers featuring Mark Lanegan, Stockhausen's Kontakte w/ Steinberg/Winant/Wolf, Madlove, Boss Hog, Double Negative, Rahzel, Teenage Jesus and the Jerks, Tweak Bird, Os Mutantes, Meat Puppets, Joe Lally (Fugazi), Mugison, Monotonix, Taraf de Haidouks, Kool Keith + Kutmasta Kurt, Porn, Fennesz, Vocal Sampling, Labeque Sisters, Ghostigital, Junior Brown, Martina Topley Bird (o cartaz já está fechado).
O que te levaria lá, Ms. Oaktree? Fantômas, ISIS (!!!), Butthole Surfers, The Dirtbombs, BIG BUSINESS, Zu, THE LOCUST, TORCHE, Melvins, THE BLACK HEART PROCESSION, MASTODON, Boss Hog, Meat Puppets, JOE LALLY, Monotonix, Martina Topley Bird.
Qual o veredicto final? A ir, já teria comprado o bilhete há uns bons meses atrás. Como não o fiz, não vou. Muito dinheiro para gastar por alturas do Natal, e uma despesa nada meiga como esta arruinar-me-ia por completo o orçamento. Ou melhor, mais do que ele já está arruinado.
Onde posso obter mais informações? Aqui.


ESTRELLA DAMM PRIMAVERA CLUB 08

Onde? Em Barcelona e Madrid, simultaneamente. No Auditori Fòrum, Sala Apolo e La [2] d'Apolo (em Barcelona), ou no Nasti, Joy Eslava e El Sol (em Madrid).
Quando? De 10 a 13 de Dezembro deste ano.
Quanto custa? 40€ para os três dias, ou 25€ (30€ nas bilheteiras) por um bilhete de um dia para o Auditori; isto para Barcelona. Para Madrid, os bilhetes de três dias/três salas encontram-se esgotados. Mas ainda podem adquirir bilhetes de três dias para as salas Joy Eslava e Nasti por 40€, ou de um dia, unicamente para a sala Joy Eslava, por 25€ (30€ nas bilheteiras). À excepção dos preços das bilheteiras, todos os outros são acrescidos de taxas.
Quem lá toca? (lo:muêso), The Extraordinaires, Merienda Cena, 12Twelve, Giant Sand, Mika Miko, Abe Vigoda, High Places, Mogwai DJs, Boss Hog, Isobel Campbell & Mark Lanegan, The Joe K-Plan, Darren Hayman & Jack Hayter, La Buena Vida, The Thermals, Deerhoof, Los Chicos, The Wave Pictures, The Dodos, Lovvers, Wovenhand, Eli "Paperboy" Reed, Manel, Espaldamaceta, Meneo (o cartaz já está fechado).
O que te levaria lá, Ms. Oaktree? Giant Sand, ABE VIGODA, HIGH PLACES, Mogwai DJs, Boss Hog, THE THERMALS, DEERHOOF, THE DODOS, Wovenhand.
Qual o veredicto final? Em virtude deste festival calhar a meio da semana, e uma vez que vou ter umas férias 'impostas' de 19 de Dezembro a 5 de Janeiro, cuja data não posso alterar, não poderei ir.
Onde posso obter mais informações? Aqui.


ROADBURN FESTIVAL 2009

Onde? No 013 Tilburg, na Holanda.
Quando? De 23 a 26 de Abril de 2009.
Quanto custa? 99€ o passe. Não inclui o campismo nem os concertos do Roadburn Afterburner, no último dia do festival (o bilhete para este evento estará à venda separadamente). As pré-vendas começam no dia 13 de Dezembro.
Quem lá toca? Orange Goblin, Amon Düül II, Black Sun, The Devil's Blood, Farflung, Gomer Pyle, Motorpsycho, Radio Moscow, Alexander Tucker, Ufomammut, White Hills, Wolves in the Throne Room, Saint Vitus, Scott Kelly, Steve Von Till, Bohren und der Club of Gore, Cathedral, Colour Haze, Dragontears, Mono, Negura Bunget, Omega Massif, The Outskirts of Infinity, The Winchester Club (todos no Roadburn, dias 23 e 24), Akimbo, Guapo, Om, Six Organs of Admittance, Skullflower, A Storm of Light, U.S. Christmas, The Young Gods, Neurosis (todos no Beyond the Pale, dia 25), Wino, Solace, Dyse, Firebird (todos no Roadburn Afterburner, dia 26).
O que te levaria lá, Ms. Oaktree? ORANGE GOBLIN, Amon Düül II, Alexander Tucker, Ufomammut, Wolves in the Throne Room, Saint Vitus, Scott Kelly, Steve Von Till, Cathedral, MONO, Omega Massif, The Winchester Club, AKIMBO, GUAPO, OM, A Storm of Light, U.S. Christmas, NEUROSIS (!!!).
Qual o veredicto final? É quase certo. Só se não conseguir comprar o bilhete a tempo ou, se por algum motivo, me der um amoque.
Onde posso obter mais informações? Aqui.


ATP THE FANS STRIKE BACK

Onde? Em Inglaterra, no Butlins Holiday Resort em Minehead.
Quando? De 8 a 10 de Maio de 2009.
Quanto custa? £150 ou £160, mais taxas. Inclui alojamento sem cozinha nem sala-de-estar ou com cozinha e sala-de-estar, respectivamente.
Quem lá toca? Devo, Spiritualized, Sleep performing Holy Mountain, selections from Dopesmoker and more, Grails, Young Marble Giants performing Colossal Youth, Antipop Consortium, Sleepy Sun. E, por enquanto, é só.
O que te levaria lá, Ms. Oaktree? SLEEP (!!!), GRAILS, Young Marble Giants.
Qual o veredicto final? Muito tentador, só pelos motivos Sleep e Grails. Aguardo, expectante, mais desenvolvimentos em termos de cartaz.
Onde posso obter mais informações? Aqui.


ATP - curated by The Breeders

Onde? Em Inglaterra, no Butlins Holiday Resort em Minehead.
Quando? De 15 a 17 de Maio de 2009.
Quanto custa? £150 ou £160, mais taxas. Inclui alojamento sem cozinha nem sala-de-estar ou com cozinha e sala-de-estar, respectivamente.
Quem lá toca? The Breeders, Throwing Muses, Bon Iver, Teenage Fanclub, Holy Fuck, Kimya Dawson, Pit Er Pat, Deerhunter. E, por enquanto, é só.
O que te levaria lá, Ms. Oaktree? The Breeders, Throwing Muses, Bon Iver, Holy Fuck, Deerhunter.
Qual o veredicto final? Embora confesse alguma curiosidade nos concertos de Breeders e Throwing Muses, não são coisas que me levassem lá propositadamente. Bon Iver, Holy Fuck e Deerhunter já vi e muito apreciei, mas £150 (no mínimo) para os voltar a ver parece-me uma exorbitância exagerada. A edição de 2008 tinha um cartaz abismal, aguardo para ver que tal as Breeders se comportam neste ano que vem.
Onde posso obter mais informações? Aqui.

A aguardar com grande expectativa...


PRIMAVERA SOUND 2009

Onde? No Parc del Fòrum, em Barcelona.
Quando? Entre 28 e 30 de Maio de 2009.
Quanto custa? A anunciar. Mas podem já adquirir um bilhete conjunto para o Primavera Club de Barcelona '08 e o Primavera Sound '09 pela módica quantia de 95€, mais taxas.
Quem lá toca? A anunciar.
O que te levaria lá, Ms. Oaktree? Isso é lá coisa que se pergunte?! Confio plenamente no bom gosto e discernimento das boas gentes da organização do festival.
Qual o veredicto final? Sem sombra de dúvida, uma experiência a repetir. Talvez já em 2009.
Onde poderei obter mais informações? Na altura apropriada, aqui.


SUPERSONIC 2009

Onde? A julgar por edições anteriores, na Custard Factory, em Birmingham.
Quando? A anunciar. Mas, mais uma vez, a julgar por edições anteriores, será algures em meados de Julho.
Quanto custa? A anunciar. Em 2008, o passe para os três dias custava £65, mais taxas (no caso da compra ser feita online).
Quem lá toca? A anunciar.
O que te levaria lá, Ms. Oaktree? Aplica-se o mesmo que disse relativamente ao Primavera Sound.
Qual o veredicto final? Sem sombra de dúvida, uma experiência a repetir. Talvez já em 2009.
Onde poderei obter mais informações? Na altura apropriada, aqui.

November 14, 2008

mais fresquinho que isto, nem mesmo na lota


Pelican - "Lost in the Headlights"

mais um!

Os Mogwai estão de regresso aqui ao jardinzinho, para um concerto na Aula Magna a dia 5 de Fevereiro do próximo ano. Os bilhetes custarão 22€ para o anfiteatro, ou 30€ para as doutorais.
C'um catano!!

November 13, 2008

... e a noite foi do rock & roll

Sic Alps ao vivo na Caixa Económica Operária






Wooden Shjips ao vivo na Caixa Económica Operária








Six Organs of Admittance ao vivo na Caixa Económica Operária




Rock & roll, psicadelismos, feedback, distorção, fuzz, drones, jams, improviso, riffalhada. Tudo coisas muito apreciadas aqui por estes lados, de preferência em quantidades generosas e com os decibéis bem no vermelho, e que os Sic Alps e os Wooden Shjips, com mestria, trataram de providenciar na noite da passada sexta-feira.

Dois terços do evento satisfizeram plenamente o meu desejo de requinte. O terço que resta não tanto. Mas talvez a falha seja minha, que nunca (ou)vi grandes motivos de interesse nos Six Organs of Admittance. Seja como for, a actuação destes não me convenceu de todo, e, como tal, não me fez mudar de opinião relativamente ao projecto de Ben Chasny.

Os momentos mais calmos e introspectivos acabavam por se tornar demasiadamente aborrecidos (especialmente, quando contrapostos às duas colossais descargas de Sic Alps e Wooden Shjips), enquanto que os devaneios noise, a espaços, pareciam despropositados e fora de contexto.
Com todo o respeito que os seus dois recentes colaboradores me merecem (os excelentíssimos Alex Neilson e Elisa Ambrogio), Chasny pode muito bem ser um pequeno génio musical (vide Comets On Fire), mas não será, concerteza, com estes Six Organs of Admittance. Pelo menos, não no meu livrinho de todas as pequenas coisas e pessoas musicalmente geniais.

November 12, 2008

November 11, 2008

a questão é: quando é que eles irão parar de lançar vídeos?

Talvez quando esgotarem as faixas de "Offend Maggie"...

Deerhoof - "Basket Ball Get Your Groove Back"

E por falar em videoclipes fresquinhos, eis o novo da Ms. Marnie Stern para "Ruler".
Bem gira... A música, claro.

estes braços são cobras e desenham círculos russos

Russian Circles ao vivo na ZdB

"Station"


"Carpe"


"Death Rides a Horse"

These Arms Are Snakes ao vivo na ZdB

"Woolen Heirs"


"Red Line Season"


"Ethric Double" (excerto)

Dia 4 de Novembro de 2008. Dia que há-de ficar para a história por dois nobres motivos: o 30º aniversário desta que vos escreve e o monumental concerto de These Arms Are Snakes e Russian Circles na ZdB. E é este último que me traz hoje aqui.
Mais uma vez, e para não destoar do que se tem vindo a tornar um hábito, a casa estava cheia. Algo que se suspeitava que pudesse acontecer, dado os fortes motivos que nessa noite levaram umas boas dezenas em romaria expectante ao número 59 da Rua da Barroca.

As honras de abertura couberam aos Russian Circles, estreantes aqui no rectângulo. Com uma postura sóbria e reservada e um Brian Cook (o meu herói de tempos recentes) a ceder os seus préstimos no baixo, a banda deixou a música falar por si. E que diálogo fenomenal! Um pouco de "Enter" aqui, um pouco de "Station" ali, uma amálgama post-tudo e mais alguma coisa, com arroubos de trash (que levaram os presentes ao delírio headbanger), uma proficiência técnica excepcional (do baterista em particular), que, mais do que cumprir expectativas, largamente as superaram. Transcendental!

Seguiam-se os repetentes These Arms Are Snakes. Precisamente por isso, uma vez que já sabíamos a brutalidade que é um concerto dos TAAS, e com um álbum fabuloso como "Tail Swallower and Dove" em carteira, não se lhes admitia nada menos que uma actuação fora de série. E, mais uma vez nessa noite, não nos iríamos desiludir.
Convenha-se que os TAAS ao vivo são o circo de Steve Snere, o animal franzino e imparável, que acabou de ser libertado da sua jaula. Faminto, raivoso, insaciável. Feroz, até. A sua recém-encontrada liberdade, este novo espaço que lhe deram, não é suficiente para compensar todo o tempo de clausura. O palco não lhe é suficiente. Experimenta o topo das colunas, a plateia, o ar sobre as mãos do público, o chão sobre os pés deste, o tecto de ondem pendem os suportes das luzes e, ainda assim, nada o satisfaz.
Pouco importa se a voz saída das colunas é praticamente imperceptível, se os instrumentos mal se distinguem uns dos outros, se o som, a espaços, não é mais do que ruído contínuo. Isto é mais sangue, suor e vísceras do que música. Do que outra coisa qualquer. Isto é o ritual celebratório e primitivo de Snere. E é verdadeiramente arrebatador e inolvidável.

November 10, 2008

2 anos em grande

E que contem muitos mais!

a palavra aos músicos (ou músicos falam sobre... coisas)


Os Mastodon falam sobre a banda, o seu novo disco, "Crack the Skye", entre outros assuntos, em dia de concerto de Halloween no Hammersmith Apollo de Londres.


E os These Arms Are Snakes apresentam o making of do vídeo para "Red Line Season".

you've done it again, efrim

Thee Silver Mount Zion Memorial Orchestra and the Tra-La-La Band ao vivo no Cinema Passos Manuel, Porto (01.11.2008)

Há momentos assim. Em que uma pessoa, pouco ou nada conhecendo de uma banda, resolve arriscar e comprar um bilhete para o concerto da dita banda. E acaba rendida.
Foi o que se passou com o primeiro concerto dos Godspeed You! Black Emperor em terras lusas, numa segunda fila de um Paradise Garage pouco acolhedor, após cerca de uma hora e meia de espera por uma banda que teimava em não entrar em palco (foi, sem dúvida, das esperas mais recompensadoras de toda a minha vida). O mesmo sucedeu no passado dia 1, com os Silver Mt. Zion.

Curioso. Parece ser este o meu destino com os GY!BE e seus membros (para aqueles que não sabem - eu própria só o descobri há uns dias atrás - os Silver Mt. Zion partilham três elementos com os já extintos GY!BE: Efrim Menuck, mentor dos primeiros, Sophie Trudeau e Thierry Amar).
Desta vez não houve esperas intermináveis nem espaços pouco acolhedores. Apenas cerca de meia hora, mais minuto menos minuto até a banda terminar de afinar os instrumentos, confortavelmente sentados nos cadeiras de cinema do Passos Manuel.
Ao que me disseram, os Silver Mt. Zion apresentavam-se em formato reduzido (sem o guitarrista Ian Ilavsky nem a violoncelista Becky Foon). Nada que perturbasse em demasia uma fraca conhecedora do trabalho da banda como eu. E, pelo que pude averiguar pelas reacções alheias, quis-me parecer que mais ninguém se sentiu defraudado.

Agora, o busílis da questão. Como descrever com exactidão um concerto dos Silver Mt. Zion?
Ora, não se descreve. Ouve-se e sente-se. Ou ouve-se mas não se sente. Um pouco como acontecia com os GY!BE. Apenas algumas pistas meramente formais: a registo vocal sofrido de Menuck, quase monocórdico, quase visceral, que, em qualquer outra situação, em qualquer outra banda, poderia soar excessivo ou desagradável (patético até), mas que aqui assenta que nem cereja em topo de bolo; as harmonias vocais entre Menuck e as duas violonistas, Trudeau e Jessica Moss, que produziam um belo efeito, quase como se de mais um intrumento se tratasse; a simpatia e boa-disposição desses mesmo Menuck, sempre pronto a interagir com o público; a instrumentação e execução irrepreensíveis; e, numa nota extremamente positiva, a excelente qualidade do som, coisa cada vez mais rara nas salas de espetáculo portuguesas, que em muito contribuiu para tornar a experiência ainda mais envolvente.

Em suma, a catarse por excelência. Se não estiveram lá para o sentir, ao menos vejam e ouçam-no
.


"13 Blues for Thirteen Moons" (excerto)


"1000000 Died to Make This Sound" (excerto)


"God Bless Our Dead Marines" (excerto)

November 6, 2008

e ainda não é desta

Peço desculpa aos caríssimos leitores, mas devido à conjunção entre um EuTubo pouco cooperante e uma série de factores pessoais e profissionais que me têm deixado com muito pouco tempo disponível, ainda não é desta que produzirei novas postas musicais suculentas.
O facto é que o material e as ideias existem, começando, inclusivamente, a acumular-se, mas o tempo escasseia.
Como tal, e provavelmente até ao início da próxima semana, as coisas aqui pelo nAnha irão funcionar um pouco a conta-gotas. Mas assim que esta turbulência estiver ultrapassada, preparem-se para muitos videozinhos de concertos, entre várias outras coisas que ando para aqui a congeminar.

November 5, 2008

antes de mais nada

Gostaria aqui de dizer que a ZdB como sala de espetáculos - e não há eufemismos que lhe valham - é uma merda.
Ora analisemos os factos: o espaço é exíguo (não admira que os bilhetes esgotem num piscar de olhos) e, seja Inverno ou Verão, o ar no Aquário acaba, invariavelmente, por se tornar irrespirável durante os concertos (um sistema de ventilação decente também já ia, não?).
Para além disso, a qualidade do som é, na maioria dos casos, miserável. Talvez o equipamento de som não seja o melhor, mas o facto é que a acústica da sala é também ela uma desgraça.

Posto isto, e se não fosse pela programação de excelência com que nos têm brindado nos últimos tempos, nunca mais me apanhavam na ZdB.

E agora que esclarecemos esta questão, declaro abertas as hostilidades... Mas só amanhã, que já se faz tarde e uma pessoa tem que repousar para amanhã estar fresca para o trabalho, e esta dor lancinante no pescoço derivada do intenso headbanging da noite anterior também não ajuda nada, enfim, males da idade, que isto chega-se aos 30 e é o que se vê, o que é que se há-de fazer? Para além de que ainda falta carregar uns quantos vídeos no EuTubo

November 4, 2008

the big 30

Já podem, oficialmente, dar-me os parabéns.
E estão todos convidados a comparecer na festa que os These Arms Are Snakes e os Russian Circles vão dar hoje em minha honra, ali para os lados da ZdB. É às 22h e a entrada custa 10€. Não faltem!

November 3, 2008

é um filme sobre os harvey milk? não, é um filme sobre o harvey milk

"Milk", de Gus Van Sant

«After moving to San Francisco, the middle-aged New Yorker, Harvey Milk, became a Gay Rights activist and city politician. On his third attempt, he was elected to San Francisco's Board of Supervisors in 1977, making him the first openly gay man to be elected to public office in the USA. The following year, both he and the city's mayor, George Moscone, were shot to death by former city supervisor, Dan White, who blamed his former colleagues for denying White's attempt to rescind his resignation from the board.»

IMDb
Site oficial

November 2, 2008

depois do disco do ano, do split do ano e da canção do ano, eis que chega a notícia do ano

Gostaria de chamar a vossa atenção para os nomes já anunciados para a edição de 2009 do primeiro fim de semana do festival ATP no Reino Unido, em Minehead. Em particular, e para além dos grandiosos Grails, para o último nome que figura no cartaz acima...

Sim, leram bem. Não se trata de nenhuma banda de tributo, de uma qualquer outra banda homónima, nem, muito menos, de um 1º de Abril antecipado/atrasado. São eles mesmo, na sua formação original (menos o monge). Al Cisneros, Matt Pike e Chris Hakius em pessoa, que se reúnem para duas aparições no The Fans Strike Back do ATP, onde irão interpretar "Holy Mountain" na sua íntegra, bem como «highlights from "Dopesmoker" and more».
Refira-se ainda que este par de actuações será um «world exclusive that will never be repeated».

Assim sendo, sinto-me extremamente tentada a investir £150 (no mínimo) num fim-de-semana na estância balnear dos velhadas.

Mais informações sobre o evento aqui.

já vem a caminho!

aqui dele tinha falado. O meu será aquele bonitinho, transparente com splatter em azul-ciano. Sweet!