no ninho dos açores

olh'ó videoclipe f'esquinho! #23







e por falar em entrevistas...


Estava a guardá-las para um dia chuvoso. Mas como já se viu que isto, para dias chuvosos, está de chuva, aqui estão elas. Sacado do fundo da minha arca de tesourinhos virtuais (aka lista de bookmarks), um lote de belíssimas entrevistas. Para ler com tempo e atenção:

Ian MacKaye, o semi-deus (via Pitchfork)

Para todos aqueles que conseguem ainda não estar saturados do debate Tr00 vs. Non-Tr00, fica uma conversa com o Triple H, dos Liturgy, e George Clarke, dos Deafheaven (via Pitchfork)

John Dyer Baizley, o senhor da Baronesa e dos belíssimos artworks (via Invisible Oranges)

Locrian & Mamiffer, pelo enorme Eugene Robinson (via BrooklynVegan) (na foto)

Pelican, pelo Mike Hill dos Tombs (via BrooklynVegan)

ainda sobre super-bandas


Andava eu contentíssima da vida, que tinha já arrumado, ainda que temporariamente, a temática das super-bandas, e, eis senão quando, os vegans de Brooklyn me alertam para estes Black God.
Desta feita, o ramalhete é composto por Ryan Patterson (de Black Cross e Coliseum), Nick Thieneman (de Breather Resist e Young Widows), Rob Pennington (de Black Cross, Endpoint e By the Grace of God) e Ben Sears (de Mountain Asleep).
A coisa vem a propósito da edição do segundo sete-polegadas da banda, cujo streaming roda em exclusivo por aqueles lados - acompanhado da entrevistazinha da praxe. Já o primeiro sete-polegadas pode ser aferido na íntegra no Bandcamp dos Black God. E são ambos tão bons, digo eu.

on ancient cross-cultural theological anthropology

Curioso que ande, justamente agora, a ler o "Damned" do Chuck Palahniuk. A páginas tantas, no capítulo quarto, diz-se o seguinte:

«That's when I think I see you, Satan. A towering figure steps out of the darkness, striding down alongside a distant row of cages. At least three times as tall as any human being cowering within the bars, the figure drags a forked tail which grows from the base of his spine. His skin sparkles with fish scales. Great black-leather wings sprout from between his shoulder blades - real leather, not like Babette's shabby, fake Manolo Blahniks - and thick horns of bone burst through the scaly surface of his bald pate.
(...)
The horned figure stops beside a cage wherein a mortal man cowers and screams wearing the frayed, sullied uniform of some football team. With jagged eagle talons instead of hands, the horned figure flips the lock on the man's cage, reaches in, and snatches about in the small space while the screaming football man dodges and evades being caught.
(...)
A voice says, "That's not Satan." From a nearby cell, a teenage boy calls, "That was Ahriman, just a demon of the Iranian desert."»

Se calhar, Jenks Miller também anda a ler o "Damned".



Se calhar, "Half Blood" vai ter uma faixa intitulada Psezpolnica.
E mais não sei, porque ainda só vou na página 92.


Para quem quiser saber mais acerca de Ahriman, o demónio, Palahniuk elucida:

«Ahriman, he explains, is nothing more than a deposed deity native to ancient Persian culture. He was the twin of Ohrmazd, born of the god Zurvan the Creator. Ahriman is responsible for poison, drought, famine, scorpions, mostly stereotypical desert stuff. His own son is Zohak and has venomous snakes which grow from the skin of his shoulders.»

olh'ó videoclipe f'esquinho! #22



title tk #23


Laia - "Sogra" (19.03.2012, edição de autor)
Tracklist:
1. "Encomendação das Almas"
2. "Arraial Montado"
3. "Bola"
4. "Chão"
5. "Sacuda-se Que a Manga Deixa"
6. "Lodo"
7. "Ninfa"
8. "Benjamim e Tu"
9. "Lembra-me Um Sonho Lindo"
10. "O Sol Que Nunca Se Põe"
11. "Lazabila"
Clipes
MySpace

s / s / s - "Beak & Claw" (20.03.2012, Anticon)
Tracklist:
1. "Museum Day"
2. "Beyond Any Doubt"
3. "If This Is Real"
4. "Octomom"

Split Cranium - "Split Cranium" (20.03.2012, Hydra Head)
Tracklist:
1. "Little Brother"
2. "Tiny Me"
3. "The Crevice Within"
4. "Blossoms from Boils"
5. "Sceptres to Rust"
6. "Black Binding Plague"
7. "Yellow Mountain"
8. "Retrace the Circle"
Facebook

Black Breath - "Sentenced to Life" (27.03.2012, Southern Lord)
Tracklist:
1. "Feast of the Damned"
2. "Sentenced to Life"
3. "Forced Into Possession"
4. "Home of the Grave"
5. "Endless Corpse"
6. "Mother Abyss"
7. "Of Flesh"
8. "Doomed"
9. "The Flame"
10. "Obey"
MySpace

High on Fire - "De Vermis Mysteriis" (03.04.2012, eOne)
Tracklist:
1. "Serums of Liao"
2. "Bloody Knuckles"
3. "Fertile Green"
4. "Madness of an Architect"
5. "Samsara"
6. "Spiritual Rites"
7. "King of Days"
8. "De Vermis Mysteriis"
9. "Romulus and Remus"
10. "Warhorn"
Facebook

Graf Orlock - "Los Angeles" (10.04.2012, Vitriol)
Tracklist:
1. "Dead Man Talking"
2. "No Attachments"
3. "Couples Seeking Comfort/No Point"
4. "Quick on the Trigger"
MySpace

Maps & Atlases - "Beware and Be Grateful" (16.04.2012, Barsuk)
Tracklist:
1. "Old & Gray"
2. "Fever"
3. "Winter"
4. "Remote & Dark Years"
5. "Silver Self"
6. "Vampires"
7. "Be Three Years Old"
8. "Bugs"
9. "Old Ash"
10. "Important"
Teaser
MySpace

Mares of Thrace - "The Pilgrimage" (24.04.2012, Sonic Unyon)
Tracklist:
1. "Act I: David Glimpses Bathsheba"
2. "The Pragmatist"
3. "The Gallwasp"
4. "The Perpetrator"
5. "Act II: Bathsheba's Reply to David"
6. "Triple B"
7. "The Goat Thief"
8. "Act III: A Curse Falls on the House of David"
9. "The Three-Legged Courtesan..."
10. "... And the Bird Surgeon"
Facebook

Suckers - "Candy Salad" (24.04.2012, Frenchkiss)
Tracklist:
1. "Going Nowhere"
2. "Figure It Out"
3. "Bricks to the Bones"
4. "Chinese Braille
"
5. "Leave the Light On"
6. "Charmaine"
7. "George
"
8. "Turn on the Sunshine
"
9. "Lydia
"
10. "Roses"
MySpace

Saint Vitus - "Lillie: F-65" (27.04.2012, Season of Mist)
Tracklist:
1. "Let Them Fall"
2. "The Bleeding Ground"
3. "Vertigo"
4. "Blessed Night"
5. "The Waste Of Time"
6. "Dependence"
7. "Withdrawal"
MySpace

JK Flesh - "Posthuman" (30.04.2012, 3by3)
Tracklist:
1. "Knuckledragger"
2. "Idle Hands"
3. "Punchdrunk Devoured"
4. "Posthuman"
5. "Earthmover Dogmatic"
6. "Underfoot"
7. "Walk Away"
Facebook

Horseback - "On the Eclipse" (04.2012, Brutal Panda)
Tracklist:
1. "On the Eclipse"
2. "Broken Orb"
Facebook

Marriages - "Kitsune" (01.05.2012, Sargent House)
Tracklist:
1. "Ride in My Place"
2. "Body of Shade"
3. "Ten Tiny Fingers"
4. "Pelt"
5. "White Shape"
6. "Part the Dark Again"
Teaser
Facebook

Nate Hall - "A Great River" (07.05.2012, Neurot)
Tracklist:
1. "The Earth in One Cell"
2. "Dark Star"
3. "Kathleen"
4. "Night Theme"
5. "Chains"
6. "To Wake and Dream"
7. "Raw Chords"
8. "Electric Night Theme"
9. "When the Stars Begin to Fall"
10. "A Great River"
Facebook

Moss Icon - "Discography" (08.05.2012, Temporary Residence Ltd.)
Tracklist:
1. "Mirror"
2. "I'm Back Sleeping, or Fucking, or Something"
3. "Divinity Cove"
4. "Locket"
5. "As Afterwards the Words Still Ring"
6. "Lyburnum - Wit's End (Liberation Fly)"
7. "Cricketty Rise (Haverton Roads - Browns And Greens)"
8. "Happy (Unbounded Glory)"
9. "The Life"
10. "Kick the Can"
11. "Memorial"
12. "Moth"
13. "Guatemala"
14. "Gravity"
15. "As Afterwards, the Words Still Ring"
16. "Familiar Presides"
17. "Hate In Me"
18. "What They Lack"
19. "Kiss the Girls and Make Them Die"
MySpace

OFF! - "OFF!" (08.05.2012, Vice)
Tracklist:
1. "Wiped Out"
2. "I Got News For You"
3. "Elimination"
4. "Cracked"
5. "Wrong"
6. "Borrow and Bomb"
7. "Toxic Box"
8. "Man From Nowhere"
9. "Jet Black Girls"
10. "King Kong Brigade"
11. "Harbor Freeway Blues"
12. "Feelings Are Meant to Be Hurt"
13. "Vaporized"
14. "503"
15. "Zero for Conduct"
16. "I Need One (I Want One)"
MySpace

Plankton Wat - "Spirits" (15.05.2012, Thrill Jockey)
Tracklist:
1. "Evening Sky"
2. "Spirits"
3. "Cape Meares"
4. "Fabric of Life"
5. "Broken Slumber"
6. "Islands"
7. "Orange Clouds"
8. "Portland & Western Cross"
9. "Vista"
10. "Stream of Light"
MySpace

Mount Eerie - "Clear Moon" (22.05.2012, P.W. Elverum & Sun)
Tracklist:
1. "Through the Trees pt. 2"
2. "The Place Lives"
3. "The Place I Live"
4. "(something)"
5. "Lone Bell"
6. "House Shape"
7. "Over Dark Water"
8. "(something)"
9. "Clear Moon"
10. "Yawning Sky"
11. "(synthesizer)"
Site oficial

Sun Kil Moon - "Among the Leaves" (29.05.2012, Caldo Verde)
Tracklist:
1. "I Know It's Pathetic but That Was the Greatest Night of My Life"
2. "Sunshine in Chicago"
3. "The Moderately Talented Yet Attractive Young Woman vs. The Exceptionally Talented Yet Not So Attractive Middle Aged Man"
4. "That Bird Has a Broken Wing"
5. "Elaine"
6. "The Winery"
7. "Young Love"
8. "Song For Richard Collopy"
9. "Among the Leaves"
10. "Red Poison"
11. "Track Number 8"
12. "Not Much Rhymes With Everything's Awesome at All Times"
13. "King Fish"
14. "Lonely Mountain"
15. "UK Blues"
16. "UK Blues 2"
17. "Black Kite"
Bonus disc:
1. "Among the Leaves (Alt. version)"
2. "The Moderately Talented Young Woman (Alt. version)"
3. "That Bird Has a Broken Wing (Live)"
4. "UK Blues (Live)"
5. "Black Kite (Live)"
MySpace

Crocodiles - "Endless Flowers" (04.06.2012, Frenchkiss) (sem imagem)
Tracklist:
1. "Endless Flowers"
2. "Sunday (Psychic Conversation #9)"
3. "No Black Clouds for Dee Dee"
4. "Electric Death Song"
5. "Hung Up on a Flower"
6. "My Surfing Lucifer"
7. "Dark Alleys"
8. "Bubblegum Trash"
9. "Welcome Trouble"
10. "You Are Forgiven"
MySpace

The Melvins - "Freak Puke" (05.06.2012, Ipecac)
Tracklist:
1. "Mr. Rip Off"
2. "Inner Ear Rupture"
3. "Baby, Won't You Weird Me Out"
4. "Worm Farm Walt"
5. "A Growing Disgust"
6. "Leon vs. the Revolution"
7. "Holy Barbarians"
8. "Freak Puke"
9. "Let Me Roll It"
10. "Tommy Goes Berserk"
Facebook

Eternal Tapestry - "Dawn in 2 Dimensions" (12.06.2012, Thrill Jockey)
Tracklist:
1. "Wholeodome"
2. "Bread of Dreams"
3. "Marrow of the Wand"
4. "I.S.F.S. > Dawn in 2 Dimensions > Quantum Leap"
MySpace

Mike Scheidt - "Stay Awake" (12.06.2012, Thrill Jockey)
Tracklist:
1. "When Time Forgets Time"
2. "Until the End of Everything"
3. "In Your Light"
4. "The Price"
5. "Breathe"
6. "Stay Awake"
Facebook

é um pássaro?... é um avião?... não! são as super-bandas! - pt. 2

Segunda e última ronda. Mais uma moedinha, mais quatro super-bandinhas:



OFF!

Quem são os ilustres? Keith Morris, membro fundador dos Black Flag e de Circle Jerks (bem como de Midget Handjob e Bug Lamp); Dimitri Coats dos Burning Brides; Mario Rubalcaba de Earthless, Hot Snakes, Rocket From the Crypt, Clikitat Ikatowi, entre outros; e Steven McDonald dos The Tourists/Redd Kross, Sparks, etc. e tal.
"Ah e tal, sou famoso e toco em bandas espetaculares"... E o que é que eu tenho a ver com isso?! Numa altura em que o punk e o hardcore de boa memória parecem ganhar novo fôlego, é bom saber que os velhadas da old school continuam vivos e de boa saúde.
Há disco e/ou amostrinhas? "First Four EPs" (2010, Vice) colige (com certeza que adivinharam) os quatro primeiros EPs da banda, e "OFF!", o primeiro verdadeiro LP, tem o parto marcado para 8 de Maio, também pela mão da Vice. Amostras disponíveis no SoundCloud e MySpace. E muitos videozinhos no Tubo.
E links, já agora? Para além dos supra, site oficial aqui e Facebook aqui.



Serpentine Path

Quem são os ilustres? Ryan Lipynsky, Darren Verni e Jay Newman, todos dos Unearthly Trance; e Tim Bagshaw dos Ramesses e ex-Electric Wizard.
"Ah e tal, sou famoso e toco em bandas espetaculares"... E o que é que eu tenho a ver com isso?! Doom as fvck! E aquela voz. É como esfolar os joelhos até ao osso num chão de gravilha. Como escorregar num corrimão crivado de estilhaços de vidro e cair numa banheira de etanol absoluto. Unearthly Trance, Ramesses e Electric Wizard, do que é que estavam à espera?
Há disco e/ou amostrinhas? Por enquanto, há apenas uma incursão pelo formato vinílico 7", que podem checar aqui, e dois temas: "Erebus" e "Depravity", o primeiro dos quais foi disponibilizado no SoundCloud do BrooklynVegan.
E links, já agora? Blogue aqui e Facebook aqui.



Split Cranium

Quem são os ilustres? Aaron Turner dos Mamiffer, Greymachine, Jodis, (ex-) Twilight, House of Low Culture, Lotus Eaters, Old Man Gloom e dos defuntos ISIS (este homem cansa-me. E leva-me à bancarrota); Jussi Lehtisalo de Circle e Pharaoh Overlord; Samae Koskinen de Steel Mammoth; e o anónimo Jukka Kröger.
"Ah e tal, sou famoso e toco em bandas espetaculares"... E o que é que eu tenho a ver com isso?! Ideal para aqueles que hipersalivam com todas-as-coisas-Aaron-Turner. Porque não tem absolutamente nada que ver com todas-as-outras-coisas-Aaron-Turner. Tem, sim, muito mais que ver com uma certa e determinada súcia de finlandeses tresloucados, e, em particular, com o fixe do Jussi (ou o fisse do Juxi). Punk javardola, cheio de crostas e galhofeiro.
Há disco e/ou amostrinhas? A estreia homónima vê a luz do dia a 20 de Março, com aval da fofinha Hydra Head. "Tiny Me" e "Sceptres to Rust" podem ser auscultados e descarregados através do Bandcamp da banda.
E links, já agora? Facebook aqui.



Vaura

Quem são os ilustres? Toby Driver (maudlin of the Well, Kayo Dot, Tartar Lamb, Secret Chiefs 3, ex-Gregor Samsa e Spoonion), Kevin Hufnagel (Dysrhythmia, Gorguts, Byla, Grey Division Blue (já falecidos) e mais umas coisas esquisitas), Josh Strawn (Blacklist e Religious to Damn, ambas do chill-goth-coiso-seca) e Charlie Schmid (The Diggs).
"Ah e tal, sou famoso e toco em bandas espetaculares, algumas nem por isso"... E o que é que eu tenho a ver com isso?! Com um painel tão ecléctico de músicos, só podiam resultar nisto: uma mixórdia - no melhor sentido do termo - das cenas e situações mais diversas. Vão ouvir, s.f.f.
Há disco e/ou amostrinhas? O disco de estreia, "Selenelion" de sua graça, já tinha merecido um destaquezinho aqui (também já por aqui tinha aparecido o vídeo para "Drachma"). "Selenelion" está em escuta no BrooklynVegan, sendo acompanhado por uma entrevista sucinta.
E links, já agora? MySpace aqui, Facebook aqui e Bandcamp aqui.

... mas isso não era refused?




Primeira baixa de peso do ano, segundo os meus registos. Requiescant in pace.

águas pesadas

(foto por Pedro Almeida)

As boas gentes do Ponto Alternativo entrevistam, filmam e partilham a nova faixa. Os Katabatic fazem o resto. Façam favor de conferir aqui.

é um pássaro?... é um avião?... não! são as super-bandas! - pt. 1

Aqui há uns séculos, tentei iniciar neste pasquim uma nova série de crónicas, que pretendia explorar o lado mais negro das super-bandas (que, ao contrário do da Força, não é nada cool). Felizmente, a coisa não teve grande continuidade (em restrospectiva, não sei o que me terá passado pela cabeça, para achar que uma banda em que milita um tipo que, ao invés de seguir o exemplo do mano mais novo, passou boa parte da sua vida adulta a fomentar esse cancro que dá pelo nome de nü metal, teria "tudo para dar certo"). Porque, verdade seja dita, super-banda é, regra geral e para quem aprecia as bandas-mãe, sinónimo de qualidade garantida.
Se é uma consequência da crise (porque a crise, hoje em dia, serve de justificação para tudo), se se gere melhor o tempo, ou se os músicos no século XXI têm talento para dar e vender, não vos saberei dizer. Mas o facto é que as super-bandas são um fenómeno cada vez mais recorrente.
Estes são apenas alguns exemplos recentes, que muito deleite por aqui causaram (a segunda parte fica para amanhã):



ÆGES

Quem são os ilustres? Kemble Walters dos extintos The Rise, entre outros; Larry Herweg dos Pelican, Tusk e San Angelus; Mark Holcomb dos Shift, Undertow e San Angelus; e Tony Baumeister de 16 e Cutthroats 9.
"Ah e tal, sou famoso e toco em bandas espetaculares"... E o que é que eu tenho a ver com isso?! Muito pouco ou nada, se estiverem à espera de algo na linha de Pelican, The Rise ou San Angelus. Se, por outro lado, procuram post-hardcore rasgado e moderninho, então terão tudo a ver com estes ÆGES.
Há disco e/ou amostrinhas? Há um EP de 2011, com o selo da Hawthorne Street, e a estreia em LP, que já tinha sido mencionada aqui, acontece daqui a sensivelmente um mês. Amostrinhas várias e bem jeitosas no SoundCloud da banda. E vídeo para "Wrong" no Tubo.
E links, já agora? MySpace aqui e Facebook aqui.



Chrome Waves

Quem são os ilustres? Stavros Giannopoulos de The Atlas Moth e Twilight; Bob Fouts de The Gates of Slumber; e Jeff Wilson, ex-Nachtmystium.
"Ah e tal, sou famoso e toco em bandas espetaculares"... E o que é que eu tenho a ver com isso?! Não vou gastar muito o meu latim, uma vez que o MetalSucks descreve-os na perfeição aqui. Acrescentaria apenas umas pitadas de post-black metal, como os hipsters agora gostam de lhe chamar, para promover o hype instantâneo. Convencidos?
Há disco e/ou amostrinhas? A estreia em disco anuncia-se para breve. Enquanto isso não acontece, e para ir matando a curiosidade, há quatro amostras muito suculentas no SoundCloud, que auguram um futuro radioso. Salvo seja.
E links, já agora? MySpace aqui e Facebook aqui.



Marriages

Quem são os ilustres? Emma Ruth Rundle (Red Sparowes, The Nocturnes), Greg Burns (Red Sparowes e Halifax Pier) e David Clifford (Red Sparowes, The VSS, Pleasure Forever, The Nocturnes).
"Ah e tal, sou famoso e toco em bandas espetaculares"... E o que é que eu tenho a ver com isso?! Para todos aqueles que, como eu, estão saturados do post-rock canónico, os Marriages elevam a fasquia e transportam o post-rock para um novo patamar. Ao que a curta amostra deixa antever, um patamar que inclui a voz envolvente de Emma Ruth, uma boa dose de experimentação e abertura a outras influências, e zero de seca-crescendo-explosão-crescendo-explosão-etc. Talvez não sejam a salvação da pátria, mas são, sem sombra de dúvida, um oásis num deserto de ideias.
Há disco e/ou amostrinhas? "Kitsune", o disco de estreia, sai a 1 de Maio pela Sargent House, e o primeiro avanço, na forma de "Ten Tiny Fingers", pode ser escutado e descarregado no Bandcamp da banda. Há também um videoteaser, a circular por aqui.
E links, já agora? Site oficial aqui, Facebook aqui e Tumblr aqui.



New Party Systems

Quem são os ilustres? Kyp Malone dos TV On The Radio e Rain Machine; David First dos Notekillers; Greg Fox dos Guardian Alien e ex-Liturgy; e Bernard Gann dos Liturgy. Mantêm ainda um saudável regime de colaboração com o meu querido Kid Millions, de Oneida e Man Forever.
"Ah e tal, sou famoso e toco em bandas espetaculares"... E o que é que eu tenho a ver com isso?! Talvez não sejam uma banda no sentido convencional do termo. O New Party Systems Collective (é esta a designação 'oficial') encontra a sua razão de ser no movimento Occupy Wall Street, apresentando-se como uma plataforma de apoio a artistas inspirada nesse mesmo movimento. Não se sabe qual será a continuidade deste projecto, nem de que forma(s) ou em que suporte(s) ele se irá expressar no futuro, mas, pelo que se pode ouvir, a coisa é muito promissora.
Há disco e/ou amostrinhas? De discos nada se sabe, mas há amostras com fartura no Bandcamp. E um vídeo para "We Are".
E links, já agora? Site oficial aqui e Facebook aqui.

à vossa consideração

Em streaming aqui...

... E aqui.

olh'ó videoclipe f'esquinho! #21

sai um óscar para a mesa 20!

Congotronics vs Rockers, a super-banda, mas também a tournée que teve a sua origem no fabuloso "Tradi-Mods vs Rockers: Alternative Takes on Congotronics" (2010, Crammed Discs), no qual 26 indie-rockers reinterpretavam outros 26 temas de vários congotronics - sobretudo, Konono Nº1 e Kasaï Allstars - terá agora direito a filme.
O realizador Pierre Laffargue documentou todo o processo que levou à criação do projecto Congotronics vs Rockers, desde os primeiros encontros entre os músicos, passando pela gravação do disco, e culminando com os 12 concertos na Europa e Ásia. O resultado final está à vista: chama-se "Kinshasa Superband: la création de Congotronics vs Rockers" e encontra-se, actualmente, em fase de pós-produção.
Para já, fiquem com este substancial aperitivo:

something to write home about #39


Como nem só de peso se compõe o mundo, aqui fica uma sugestão para todos os apreciadores de fritos e frituras em geral.
Os the band in Heaven (que não deverão ser confundidos com uns tais de Bear in Heaven) são um duo de pombinhos (Ates Isildak e Lauren Dwyer) - por vezes trio, por vezes quinteto - nascido na Flórida, que vem fornecer a dose diária recomendada de psicadélia a meninos e meninas, e a quem mais lhes queira dar atenção.
Segundo o GET BENT!, são qualquer coisa como «a perfect formula of sludgy, psych rock combined with dreamy, shoegaze melodies. Imagine The Black Angels, Brian Jonestown Massacre and Slowdive meeting somewhere in outer space». Eu, que nem sou grande apreciadora de mira-calçado, nem de popes sonhadoras, devo confessar que esta pandilha interfere profunda e psicoactivamente com o meu sistema neuronal. Objectivo cumprido!

Facebook
Bandcamp
Tumblr
Videoclipe "High Low" | "Sludgy Dreams" | "Sleazy Dreams"

e o primeiro disco de 2012, em 2012, foi...

Earth - "Angels of Darkness, Demons of Light II" (2012, Southern Lord)

Já há coisa de um mês que tenho em minha posse este segundo tomo do compêndio "Angels of Darkness, Demons of Light", mas como ando a braços com uma série de edições de 2011 em atraso (e algumas até de mil novecentos e setentas), ainda não lhe prestei a devida atenção. E, como já se sabe, prognósticos só depois do jogo.

olh'ó videoclipe f'esquinho! #20






(ou, ainda, estoutro aqui.)

hoje há...


agora só faltava trazerem os at the drive-in, não?


Não, Sr. Covões, a sugestão não é séria. Estava a ser sarcástica. Pelo menos com estes ainda me vou cruzar ali para os lados da Catalunha, e não gostaria, de forma alguma, que os At the Drive-In me forçassem a ir (mais uma vez...) àquele pé-de-vento-a-que-o-senhor-gosta-de-chamar-recinto-mas-que-não-passa-de-um-baldio-mal-amanhado-e-empoeirado-à-beira-Tejo-onde-os-seus-lacaios-montam-umas-tendas-de-circo-e-enfiam-para-lá-algumas-das-bandas-mais-manhosas-de-que-há-memória-para-atrair-as-massas-e-depois-metem-dois-ou-três-nomes-destes-que-é-como-quem-acena-com-uma-cenoura-a-burros-como-eu.
Ainda assim, quem estiver disposto a comer pó e merda às pazadas (o primeiro literalmente, a segunda figuradamente) para ver os Refused ao vivo, só tem que desembolsar 53€ por um bilhete diário (ou 105€ pelo passe de três dias), dirigir-se ao recinto do festival Optimus Alive no dia 13 de Julho e preparar-se para fintar Lostprophets, LMFAO, entre outras aberrações.

to die young is far too boring these days

Helmet (+ Fighting With Wire) @ TMN ao Vivo (05.03.2012)


"You Borrowed"
"I Know" + "Wilma's Rainbow"
"Driving Nowhere" + "Birth Defect"
"Milquetoast"

hoje (e amanhã) há...


guitars rule, ok?

Glenn Jones + Filho da Mãe @ ZdB (03.03.2012)

Filho da Mãe

"Eusébio no deserto"

Glenn Jones

(1)
(2)
(4)

san miguel primavera sound soma e segue. optimus primavera sound continua a ver passar navios (com destino a barcelona).


Disseram-nos que a coisa iria estar fechada lá para 3 de Fevereiro. Mas a verdade é que o cartaz do San Miguel Primavera Sound continua a somar novos nomes a bom ritmo.
Do novo lote de contratações, recentemente anunciado, destacam-se os Linda Martini, que, se não me falha a memória, quebram o jejum e são a primeira (afinal, parece que serão a segunda) banda portuguesa a actuar no festival catalão; e os A Storm of Light, mais uma belíssima adição no campo do peso. Poderão consultar a lista completa de novos reforços aqui.

Enquanto isso, nada de muito novo para os lados do Optimus Primavera Sound. Poderão também fazer aquele exercício engraçado (leia-se, desanimador), que consiste em comparar os cartazes de ambos os festivais, aqui e aqui.
Ainda assim, a organização promete algumas surpresas para o Primavera luso. Mas, por esta altura, acho que já ninguém acredita muito nisso.

as coisas que se dizem por aí

Pedindo, desde já, desculpas a todos os amigos e conhecidos que trabalham ou trabalharam na Fnac, mas o pequeno diabrete que habita em mim não pode deixar de soltar uma sardónica gargalhada, perante este pequeno pedaço de prosa, publicado na edição #991 da revista Visão:

«Num sábado de manhã, a Amazon teve uma ideia perversa: pediu aos seus clientes para se deslocarem às lojas do comércio tradicional e identificarem os produtos que pretendiam. Se, depois, optassem pela compra através da internet, a Amazon faria um desconto de 5 por cento... A ideia semeou a fúria entre os lojistas: o gigante da internet estava a utilizar os seus espaços como meros expositores de produtos.
O que mais irrita Alexandre Bompard, CEO da Fnac, é o facto de a Amazon não pagar impostos em França e de ter custos bem mais baixos que aquela grande superfície francesa. (...)»

Se não posso estar senão solidária com os lojistas tradicionais, já a indignação desse tal Alexandre Bompard causa-me alguma perplexidade.
É que, caso não saiba, Sr. Bompard, a Amazon apresenta, efectivamente, preços muito convidativos, para além de um vastíssimo leque de escolha e um atendimento ao cliente, na minha experiência, nada menos que soberbo. Será que podemos dizer o mesmo acerca das lojas da 'sua' cadeia?
E digo-lhe mais, Sr. Bompard. A mim, o que mais me irrita não é o local onde a Amazon paga ou deixa de pagar os seus impostos, mas sim o facto de ter sido a 'sua' Fnac a responsável, em maior ou menor escala, pelo fecho de dezenas (centenas?) de pequenas - e não tão pequenas - lojas de discos e livrarias, em Portugal e não só. Diga-me agora o senhor, Sr. Bompard, que tal é provar do seu próprio veneno?


A Magnet ressuscitou! Nada de novo até aqui. A verdadeira novidade veio com o penúltimo número da revista, o 84, e com a também-ressurreição da mítica coluna Where's the Street Team?, do não menos mítico Andrew Earles.
Para aqueles que nunca tiveram o prazer de se cruzar com a escrita biliosa de Earles, o Where's the Street Team? é o arquétipo máximo da crítica take no prisoners. Em tom ora terrivelmente sério, ora requintadamente escarninho, ali tudo é dilacerado, trucidado e massacrado. Mesmo as vacas sagradas. Mesmo as nossas vacas sagradas. E mesmo quando se tratam das nossas vacas sagradas, não há como não reconhecer que Earles tem sempre - ou quase sempre - uma boa porção de razão.
É o que se poderá chamar de crítica destrutivo-construtiva. Destrói-se o que é mau, para assim criar um mundo melhor - é essa a ideia.
Serve este intróito para dizer que, nesta nova encarnação do Where's the Street Team?, houve um trecho que me pareceu particularmente lúcido. Reza assim:

«Tyler, The Creator and Co. can look forward to a future that isn't all that odd, actually. Remember underground hip hop? You know, that utterly humorless and equally as directionless destruction of good hip hop that got a foothold at some point in the '90s? You know, the one that had a major impact on the value of JanSport stock? Well, remove the message and replace it with a blunt idiocy and depravity devoid of absolutely any and all redeeming factors, and it only takes one other unspoken ingredient to insure some fleeting exposure: a lot of white guilt from those who over-intellectualize, justify and throw a whole swarm of bullshit quasi-sociology theories at what amounts to nothing more than pro-rape, subliterate halfwits who really need to look into being prescribed very strong medication for when the attention inevitably vanishes.»

Couldn't agree more, Mr. Earles, diria eu.
 

© nos Açores não há açores. | template Modern Clix criado por Rodrigo Galindez | adaptado para o blogger por Introblogger | modificado por ms. oaktree