no ninho dos açores

primavídeos #11


Shearwater - "The Snow Leopard" live @ Empty Bottle, Chicago

santíssima trindade, por assim dizer

2009 está a ser um bom ano para a música em geral, e para o peso em particular. Se dúvidas restassem, bastaria relembrar que este é o ano em que as instituições Khanate, Isis (este ainda está em período probatório, daqui a aproximadamente uma semana será sujeito à avaliação final) e Sunn 0))) lançaram ou irão lançar novos álbuns.
Ainda assim, se dúvidas restassem, bastaria pôr os olhos nos três diamantes acima retratados. Talvez de relance, os dois primeiros nomes não vos digam muito. Mas atentem nas minhas palavras, porque eu só vou dizer isto uma vez: são do melhor e mais avassalador que me veio parar às mãos nestes últimos meses.
Os Kylesa porque, assim de mansinho, se saíram com um mais que perfeito. Já há uns bons tempos que nada me afectava como estes 40 minutos e 26 segundos de música o fazem!
Os Tombs porque se saíram com aquela "Gossamer", que deve ser, apenas e tão somente, a faixa mais brutal do século. E o resto do disco, como diria o poeta, mantém o nível de violência decibélica lá bem nos píncaros.
E os Mastodon, porque se limitaram a fazer aquilo que sabem melhor: um disco do cacete! E mais não digo...
Vá, ide mas é ouvir.

notas musicais avulsas #20


Os discos: para além de novidades acerca da estreia dos Pelican na Southern Lord, há também mais dois lançamentos previstos para breve. Eis o que a banda tem a dizer:

«Our new EP Ephemeral is slated for release on June 6th through Southern Lord. We are doing everything in our power to have advance copies in time for the tour. While Southern Lord is handling the vinyl and mp3 side of the release, the CD version will be self-released by Trevor's own Migration Media label. We're pressing up 1000 copies, all of which will be packaged in custom designed and printed sleeves by our buddies Delicious Design League, the folks responsible for the screenprinted Australasia limited edition that came out, among a million other things they've done for us. The CD will only be available from us on tour for the time being. There will be a special edition of 50 for our Japan show as well, which I forgot to mention.
Also be on the lookout for a split 7" with our buddies Young Widows on Temporary Residence, which we'll hopefully get copies of during the course of the tour as well. One new song from each band. We're also still waiting on the Champions of Sound 2x7" on Hydra Head which features exclusive tracks by us, Kayo Dot, Zozobra, and Stove Bredsky.»




O vídeo: há um novo videoclipe para os The Bronx. Intitula-se "Knifeman", é o segundo single a ser retirado de "III" e tem o seguinte aspecto:





As canções: amostrinhas grátis das novíssimas "While We Were Dreaming", de Pink Mountaintops, e "Don't Talk in Your Sleep", dos Magik Markers, aqui e aqui, respectivamente.

primavídeos #10


The Mae Shi - "Run to Your Grave"

o 3 em 2

Adorno ao vivo n'o Século (23.04.2009):




Auxes + Challenger ao vivo n'o Século (23.04.2009):






primavídeos #9

Daqui a precisamente um mês, estaremos a iniciar umas merecidas férias em Barcelona. Acabadinhos de chegar e comodamente instalados na Rambla, com uma caixa de seis Dunkin' Donuts ao colo, a ver TVE no nosso quarto de hotel. Ou, quiçá, a gaudir d'un so no Razzmatazz, contando que não nos cobrem um balúrdio à entrada.
Seja qual for o programa para esse dia, o momento presente é de comemoração. Por isso, caríssimos leitores, aqui fica uma coisinha especial...


Jesu - "We All Faulter" live in San Francisco

e hoje há mais!

para os ovos podres verem o que andam a perder...

Lobster ao vivo na ZdB (22.04.2009):





Mais aqui e aqui.

The Usaisamonster ao vivo na ZdB (22.04.2009):





Mais aqui e aqui.

não esquecer: quem não for é um ovo podre!

Hoje...
Amanhã...

dava-te as mãos até te suarem as palminhas #11

Ainda a propósito da posta de ontem...
Spencer Krug (Sunset Rubdown, Swan Lake, etc. e tal...)

primavídeos #8


Throwing Muses - "Tar Kissers"

editora do ano!

Gostaria de, mais uma vez, dar uma de Pitchfork - embora menos fundamentalista e mais abrangente - e fazer a proclamação oficial da melhor editora de 2009.
Ainda há pouco terminou o primeiro trimestre do ano, e já há uma label que se destaca de todas as outras tanto em termos de qualidade, como de quantidade. Refiro-me à fabulosa Jagjaguwar, que, só durante o primeiro semestre de 2009, já editou/irá editar uma mão cheia de títulos que, indubitavelmente, farão parte do meu top de melhores do ano.
Se não acreditam na minha palavra, rendam-se pois às evidências:


Bon Iver - "Blood Bank" EP (20.01.2009, Jagjaguwar)


Download
"Blood Bank"







Odawas - "The Blue Depths" (17.02.2009, Jagjaguwar)


Download
"Harmless Lover's Discourse"







Julie Doiron - "I Can Wonder What You Did With Your Day" (10.03.2009, Jagjaguwar)


Download
"Consolation Prize"







Swan Lake - "Enemy Mine" (24.03.2009, Jagjaguwar)


Download
"Spanish Gold, 2044"
Download "A Hand at Dusk"
Download "Spider"





Okkervil River - "Pop Lie" Single (21.04.2009, Jagjaguwar)


Download
"Pop Lie"







Pterodactyl - "Worldwild" (21.04.2009, Jagjaguwar/Brah)


Download
"First Daze"







Pink Mountaintops - "Outside Love" (05.05.2009, Jagjaguwar)


Download
"Vampire"







Sunset Rubdown - "Dragonslayer" (23.06.2009, Jagjaguwar)


Download
"Idiot Heart"






Download .zip (60,62 Mb)

Posto isto, I rest my case.

olh'ós f'esquinhos!


Tera Melos - "Hey Sandy"


Abe Vigoda - "Don't Lie"

primavídeos #7


Magik Markers - "Taste"

12.05.09

Já em pré-encomenda aqui.

marquem nas vossas agendas: ir comprar discos a 18 de abril

Sim, porque é já amanhã que se comemora o Record Store Day, ou como se diz no nosso bom e velhinho português, o Dia da Loja de Discos. Aqui no jardinzinho serão várias as lojas aderentes, e as iniciativas vão desde promoções, descontos, até DJ sets e showcases, entre outras. Eis algumas:

As Louie Louies de Lisboa, Porto e Braga vão ter, durante todo o dia de amanhã, 20% de desconto em todos os artigos...

Também a CDGo.com/Jo-Jo's Music irá dar descontos a todos os seus clientes, neste caso, de 15%, tanto na sua loja do Porto como no seu website. Para além disso, irá também haver um DJ set a animar a loja física, a partir das 16 horas...

Já a Carbono irá realizar uma campanha "pague 3, leve 4" para CDs do mesmo preço, para além de continuar a promoção dos pacotes-surpresa de 10 CDs por tuta e meia...

Também a Trem Azul se encontra listada no RecordStoreDay.com como loja participante, mas o seu site não dá qualquer indicação de iniciativas a serem levadas a cabo neste dia...

A Flur ainda é aquela que apresenta um cartaz de festividades mais extenso, «com convidados a trabalhar ao balcão, a escolher a música que se ouve na loja, passar discos na esplanada da bica do sapato, tocar ao vivo no interior da loja, expôr capas de discos, falar, beber, ver e ouvir música.». Só não há é notícias de descontos nem de promoções (ooooohhh!). Pode ser é que ainda por lá apareçam algumas daquelas edições limitadas, pensadas exclusivamente para a comemoração deste dia (Mmm, "Cryptomnesia"...).

clássicos modernos #12

Gore - "Hart Gore/Mean Man's Dream" (1986/87 / 2008, Southern Lord)

São holandeses. Existiram entre 1985 e 1996. O Sr. Daniel Ferreira recomendou-me esta reedição dos seus dois primeiros álbuns.
Os senhores da Southern Lord dizem que foram eles que desbravaram o caminho que mais tarde seria percorrido por nomes como Pelican, Russian Circles, Don Caballero e Bohren und Der Club of Gore. Dizem ainda que eles são uma lenda.
Um senhor de Wolves In the Throne Room diz que os levava para uma ilha deserta (e com certeza que não seria para fazer o doce, doce amor).
A mim só me resta seguir os conselhos de tanta e tão boa gente, e ir ali para o meu canto venerar os Gore.

terras desoladoras

Locrian - "Drenched Lands" (2009, At War With False Noise/Small Doses)

Uma toada soturna assombra o conjunto. Um orgão tétrico, um véu de ruído e distorção que tudo envolve, alguns acordes de guitarra esparsos e minimais. De repente, um grito lancinante chega-nos de um qualquer horizonte longínquo. Imaginamos que provenha do mais macabro dos hospícios. Ainda um sino que toca, macabro e lânguido, sem sineiro. Uma sensação de desespero e o odor nauseabundo da putrefacção pairam sob um céu plúmbeo. Os campos são áridos e estéreis. As urbes encontram-se desertas e em ruínas. Os habitantes há muito que se foram. Apenas restam algumas formas de vida parasitárias, que se consomem mutuamente, pois na terra já nada há.

Assim se vão construíndo as paisagens desoladoras que compõem "Drenched Lands", a estreia no formato longa-duração do duo Locrian. De pequenos e bem doseados elementos, quase espartanos, que seguindo a velha máxima gestaltista - o todo é maior que a soma das partes - se conjugam para criar um cenário atormentado e sufocante, onde o ambient drone é pedra de toque - ora em ciclos, ora em progressão crescente -, que tem tanto de aterrorizador, como de hipnótico e encantatório.
Uma verdadeira pérola negra, que me veio parar às mãos quase por acidente, e, sem dúvida, uma das promessas mais estimulantes de 2009, que urge ser descoberta por todos aqueles que apreciam o género.

primavídeos #6


Dan Deacon - "Crystal Cat"

SOMA

Stephen O'Malley ao vivo na Culturgest do Porto (11.04.2009):






amanhã há: concerto de katabatic, seguido de children (playing records)

Os Katabatic, nome já bem conhecido da nossa praça, tiveram a gentileza de convidar dois tenrinhos para 'fingir' que passam uns discos e animam a malta após o seu concerto n'O Século. Os tenrinhos em questão são esta mesma que vos escreve e seu esposo (que alguns talvez conhecerão como sendo um grandessíssimo batoteiro, e outros apenas como Daniel). Será a nossa quase-estreia absoluta nestas andanças gira-disquistas (a minha é absolutamente absoluta, a do Dan não tanto), portanto não prometemos nada... Apenas boa música, e mesmo isso será uma questão de opinião.
Mesmo sendo numa noite de segunda-feira, incito à comparência de todos os leitores e amigos do nAnha. Os Katabatic valem bem a pena, e os dois tenrinhos (aka children) também irão fazer por isso!

Apareçam, bebam um copo e venham dar-nos o vosso apoio moral!

Ficam os detalhes...

Concerto de... Katabatic @ O Século, 13 Abril, 21h30, 3€
Seguido de... Children (playing records), a partir das 23h
Na... Rua do Século, 80 - Lisboa

primavídeos #5


The Jesus Lizard - "Puss"

vamos aprender a tocar com os prós?... vamos a isso!

«What's up rock fans? Bob Balch from Fu Manchu here. Wanted to let you know that my site http://www.playthisriff.com is up and running.

At http://www.playthisriff.com you'll find HD lesson videos of me showing you how to play pretty much every song from "The Action is Go" "King of the Road" "Eatin' Dust" "California Crossing" "Start the Machine" and "We Must Obey."

I also have a lot of videos that feature gear, soloing tips, practice tips, and theory. I have tons of guest teachers too. Check out this list:



* Nick Oliveri (QOTSA, Kyuss, Mondo Generator, The Dwarves) teaching bass and guitar!!!!!!

* Brant Bjork (Fu Manchu, Kyuss, BB and the Bros, De-Con) teaching drums and guitar!!!!!!!

* Ron Emory (T.S.O.L.)

* Shane Clark (3 Inches of Blood)

* Dan Beeman (Helmet)

* Kyle Stevenson (Helmet)

* Dan Fuller (Helmet)

* Jon Karel (The Number 12 Looks Like You, Horse the Band)

* Laurent Lamont (Pelican)

* Mike Watt (Minutemen, DOS, fIREHOSE)

* Jack Gibson (Exodus)

* Hewhocannotbenamed (The Dwarves)

* Fresh Prince of Darkness (The Dwarves)



Here is a preview:



I'll be adding videos on a weekly basis. The site is real user friendly. If you want to see a video from me or another band just shoot me an email and I'll get on it! Come check it out!!!!!!

Thanks,

Bob Balch

http://www.playthisriff.com»

mais dois f'esquinhos


...And You Will Know Us by the Trail of Dead - "Isis Unveiled"


The Thermals - "Now We Can See"

primavídeos #4


Liars - "Plaster Casts of Everything"

wavves of mutilation contra a SPA e a PassMúsica, são os meus votos para esta páscoa que se aproxima

Independentemente das tristes notícias de ontem, é óptimo saber que ninguém trava o pessoal da grande Invicta. Muito menos, os execs de certas e determinadas organizaçõezinhas mafiosas.
Aproveitando a passagem do rapaz Nathan Williams pelo Primavera Sound, a Lovers & Lollypops vai desviá-lo, e aos seus Wavves, para uma visitinha ao Passos Manuel, no Porto, no dia 1 de Junho.
Três dias antes - a 29 de Maio, portanto - o desvio terá como destino Lisboa, rumo à ZdB.

mamã, continuo zangado com o mundo em geral

Cursive - "Mama, I'm Swollen" (2009, Saddle Creek)

Ainda bem que há pessoas assim. Ainda bem que há alguém que, após 34 anos de vida, continue repleto da teenage angst mais inconsequente e irreflectida. De uma forma deveras consequente e reflectida.
Alguém que despeja toda a sua ira por intermédio das palavras mais belíssimas. Seja contra a ex-mulher e ex-(hipotéticas)-amantes (grandes catalisadoras da raiva patente em "Domestica" e "The Ugly Organ", já para não falar da obra dos The Good Life, "Black Out"), seja contra o ser humano (ele próprio), a sociedade e o mundo em geral. Todas as composições de Kasher são manifestos da mais pura revolta e inconformismo. Mas não daqueles maçudos e soporíferos. Tudo isto é pessoal, tudo isto é rancor sincero e perverso. Não há aqui pseudo-politiquices nem basófias afins.
Mesmo nos momentos (temas) menos tempestuosos, a raiva acaba sempre por transparecer. Incontida e pura, no seu mais magnífico esplendor. E assim se quer o rock & roll. Nada de fachadas ou falsas perturbações/juventudes perdidas.
Kasher, quer o manifeste exteriormente ou apenas o cultive no mais profundo do seu âmago, só poderá ser o mais profundo dos misantropos. E ainda bem que assim é.
Como diz o próprio, "I'm at my best when I'm at my worst - when I'm not rehearsed.". E agora digo eu: and we wouldn't have it any other way.

Portanto, dai graças pela existência de Tim Kasher, pelos seus ódios de estimação e pelos seus Cursive! Que em 14 anos de carreira nunca nos deram um disco nada menos que brilhante.

é vergonhoso!

«Olá a todos,

É neste dia chuvoso e triste que vos decidimos escrever, temos algumas coisas para partilhar convosco.

Como muitos de vocês sabem, a Amplificasom apenas surgiu pela enorme vontade que tanto eu como o Jorge tínhamos (e temos) em ver as nossas bandas preferidas aqui na nossa cidade, no nosso país. Quem repara na relação preço dos bilhetes/ qualidade das bandas e no facto da Amplificasom não ter qualquer tipo de apoio, fundos ou patrocínios sabe que apenas dependemos da bilheteira e que ao fim da noite, com todas as despesas e responsabilidades, seria impossível ganhar o que quer que fosse. Mesmo que ganhassemos, duvido que pagasse todo o nosso empenho e dedicação, MAS infelizmente nem todos estamos no mesmo caminho, nem todos estamos nisto pela MÚSICA.

É com revolta e frustração que vos informamos que uma tal organização prevista na lei e que se auto denomina como protectora dos direitos de autor exigiu licenças para os próximos concertos da Amplificasom. Não somos incumpridores, não queremos o mundo à nossa maneira, mas a partir do momento em que uma licença para um concerto custa mais do que o cachet da banda então é porque algo está errado e devia ser revisto. Essa tal organização privada tem uma maneira de trabalhar bastante duvidosa e apesar de ser contestada por muitos não há maneira de os fazer parar. Quem está no meio sabe que bandas como os A Storm of Light (que sábado deram um concertaço enorme), por exemplo, nunca receberão um tostão relacionado com os direitos de autor, todo esse dinheiro vai para os "chicos fininhos" deste país e sabe-se lá mais para quê. Enfim, não me vou adiantar muito mais até para não vos maçar. Quero-vos apenas relembrar que nós na Amplificasom AMAMOS E RESPIRAMOS música, estamos nisto pelo som e as bandas são sempre a nossa prioridade, simplesmente não fazemos milagres (se calhar até já fizemos alguns) e sendo assim temos algumas alterações para vos anunciar:

- Os bilhetes para This Will Destroy You terão um preço mínimo de 10€ e não 8€ como estava estipulado (lá está, temos que tirar uma licença mais cara do que o cachet e ao mesmo tempo não aumentar muito o preço pois vocês não têm culpa). Quem já reservou, sintam-se livres para cancelar, quem ainda não reservou e tenciona ir então reservem-no o mais breve possível.

- Nós e a Lovers decidimos cancelar o concerto de Jarboe + Black Sun. É impossível garantirmos todas as condições que alguém como a ex-Swans merece e depois ainda pagarmos a treta do costume. Esqueçam, neste campeonato não dá.

- Desde a passada quinta-feira que temos confirmado um daqueles concertos pequenos mas gostosos para o dia 5 de Maio. Com a desmotivação que estamos, hoje não teríamos acordado trazê-los cá nem marcado cinco datas ibéricas, mas agora já lhes demos a nossa palavra e contamos convosco para que corra bem. É uma banda de pós-metal da Relapse, daremos mais novidades no blog dentro de dias.

- É provável que o concerto dos suecos Kongh (16 de Maio) seja o último durante algum tempo. Estamos cheios de ideias para o futuro, projectos com malta com a qual nos identificamos e até temos concertos já confirmados para Outubro, mas hoje sentimo-nos amargos e traídos depois de tudo o que temos dado e feito pela música ao vivo nesta cidade. Bem, logo se vê...

Até breve.

Abraço,
André e Jorge (Amplificasom)»




«Direitos de Autor e Direitos Conexos - Em Defesa da Transparência e do Rigor»

«Os estabelecimentos comerciais de diversão nocturna – Bares, Discotecas, Restaurantes, Salas de Concerto e outros - que passam música e vídeos, sentem-se prejudicados pela forma como estão a ser exigidos e cobrados os valores das licenças impostas para a difusão Música e de Imagens, quer a título de Direitos de Autor, quer a título de Direitos Conexos.
Na verdade, apesar de tal matéria se encontrar prevista na lei, a grande maioria dos cidadãos não sabe:

1.
O pagamento dessas licenças é imposto por associações, isto é pessoas colectivas privadas – Sociedade Portuguesa de Autores ( S.P.A.) para os Direitos de Autor,AUDIOGEST e G.D.A. (vulgo PASSMÚSICA) para os Direitos Conexos – que não têm concorrência;

2.
Os valores cobrados são decididos por estas entidades, impondo esses valores de forma unilateral e sem qualquer controlo do Estado;

3.
Quando não lhes são pagos os valores que exigem sempre podem chamar as autoridades policiais pois, embora estejamos perante o incumprimento de um pagamento, é o único caso em que o não pagamento de uma licença a uma entidade privada dá pena de prisão até três anos cumulada com multa;

4.
A S.P.A. e a PASSMÚSICA ( AUDIOGESTE e G.D.A.), aproveitando que não têm concorrência, cobram licenças de forma indiscriminada, mesmo quando são difundidos Autores, intérpretes ou Editoras que não estão legitimados para representar;

5.
Cobram valores alegando a representação de artistas que permitem a distribuição e divulgação gratuita dos seus temas.

6.
Essas Entidades impõem valores exorbitantes esquecendo que, nos estabelecimentos comerciais de diversão nocturna e restauração, o benefício da passagem de música para os Autores, Editores, Produtores e intérpretes é igual ao benefício para esses espaços. Sem a existência desses espaços, as únicas músicas que o público português teria acesso são as que passam no “Top Mais”, programa da responsabilidade da Associação Fonográfica Portuguesa, entidade com a qual a Audiogeste partilha a sua sede, manietando a divulgação da cultura;

7.
Por outro lado, Artistas que nunca iriam ser conhecidos no nosso País – pois nem todos passam nas rádios por causa das Play-lists – têm a oportunidade de terem espaços onde a sua música é divulgada, o que permite concertos e venda de discos. Às Editoras mais pequenas - muitas das quais não são representadas pela PASSMÚSICA (AUDIOGEST e G.D.A.) - permite venda de discos. Os espaços utilizam música mas também a divulgam de forma mais ampla que as rádios e a televisão sendo idêntico o benefício para ambas as partes, nada recebendo os Estabelecimentos por essa difusão ao contrário das Rádios, Televisões, Jornais e Revistas.

8.
Quando os Estabelecimentos compram os temas estão, com essa compra e através do preço, a pagar uma parte para a S.P.A. e para as Editoras, produtores e Interpretes representados pela PASSMÚSICA (AUDIOGEST e G.D.A.). A cobrança das licenças de difusão é uma forma destas entidades se fazerem pagar duas vezes pelos mesmos Direitos.

9.
As tabelas são manifestamente exageradas para a realidade portuguesa com valores que são incomportáveis para a grande maioria dos Bares, Discotecas, Restaurantes entre outros, dando a ideia que, embora sejam associações sem fins lucrativos, visam essencialmente o lucro e não e apenas a Protecção de Direitos;

10.
Cobram licenças mesmo quando os estabelecimentos não estão a trabalhar. O pagamento de uma licença para divulgar um tema musical ou um vídeo é devido quando se exerce esse direito, ora em meses ou em dias em que o estabelecimento se encontra encerrado nada é devido. Essas entidades cobram abusivamente valores pelos quais não dão contrapartidas efectivas;

11.
Os critérios de pagamento são diferenciados e aleatórios: espaços com as mesmas características, no mesmo período e nas mesmas condições pagam valores diferentes e que não são os que constam das tabelas.

12.
A S.P.A. e a PASSMÚSICA (AUDIOGEST e G.D.A.) não têm uma base de dados com os artistas e com os temas que estão legal e devidamente autorizados para representar. Cobram elevadas quantias e não comprovam antecipadamente quem é que representam. Nos seus sites preocupam-se em mostrar as suas tabelas de preços mas não permitem que haja transparência, nem liberdade de escolha. Deveria ser permitido que os Estabelecimentos comerciais de diversão nocturna possam optar em passar Artistas ou Autores representados por estas entidades ou divulgar outros que não acreditam ser beneficiados porque nunca receberam nada das mesmas optando por não cobrar pela divulgação da sua música. Não é legítimo, nem lícito uma entidade fazer-se cobrar direitos em nome de quem não representa apenas porque alega representar grande parte do mercado. Existem Autores, Artistas e Editoras que nunca receberam nada da S.P.A. e da PASSMÚSICA e, ainda assim, estas não deixam de cobrar em seu nome.

É, pois, pelos motivos expostos, que os abaixo-assinados, cidadãos inconformados com estas realidades, aqui manifestam o seu descontentamento e apelam à clarificação e regulamentação da lei que prevê os direitos conexos ao direito de autor.

Em nome do rigor, da transparência e da Cultura!»




Não há palavras que exprimam a indignação de quem gosta verdadeiramente de música (ou de qualquer outra forma de arte, já agora) perante uma situação como esta.
Porque estas ridicularias não defendem os direitos dos artistas, autores e editores independentes, mas sim das Madonnas, Britneys, U2s, 50 Cents e Metallicas desta vida. E esses (já nem lhes chamo artistas, mas antes máquinas de fazer dinheiro), independentemente de SPAs e PassMúsicas, têm o seu quinhão mais que garantido.
Quem lucra afinal? Quem senão os pequenos executivos-yuppiezinhos-porcos-capitalistas-montes-de-merda que actuam por detrás das secretárias dessa pretensas associações de defesa dos direitos autorais!... Gente que, muito provavelmente, nem sequer gosta de música, cinema, literatura... Quem julgam eles que andam a enganar?!

Façam um favor a vocês próprios: assinem a petição aqui e divulguem-na. Por vocês, por mim, por todos nós, mas, acima de tudo, pela nossa música, pelos nossos artistas, promotores, divulgadores e editores.

uma tempestade de luz

Katabatic ao vivo no Teatro Independente de Oeiras (03.04.2009):


A Storm of Light ao vivo no Teatro Independente de Oeiras (03.04.2009):




notas musicais avulsas #19


Os Daughters - e não as daughters, como seria suposto - preparam-se para voltar ao estúdio já no final deste mês de Abril, e gravar o sucessor de "Hell Songs" para a Hydra Head. Mas, enquanto isso, a Sargent House acaba de reeditar o EP homónimo de estreia da banda, originalmente lançado em 2002 pela City of Hell, e descatalogado logo no ano seguinte.
O bicho tem o seguinte aspecto:

Tracklist:
1. "Hello Assholes"
2. "Flattery Is A Bunch of Fucking Bullshit"
3. "A Room Full of Hard-Ons and Nowhere To Sit Down"
4. "My Stereo Has Mono and So Does My Girlfriend"




Eis que surge a primeira baixa, que eu tenha conhecimento, do 'Caso Touch and Go'. Os Pinback cessaram amigavelmente o seu contrato com a editora de Chicago e passarão a fazer parte do roster da Temporary Residence. Esta última passará assim a ter em catálogo mais um dos projectos de Rob Crow.



Quais zombies de bolsos vazios em tempos de crise, os Coalesce voltam à vida e às lides discográficas. A estreia-depois-da-cova terá o nome de "Ox" e sairá lá para 9 de Junho (nos States, internacionalmente só a 15 de Junho) pela Relapse. Dois dos novos temas a ser incluídos, "Wild Ox Moan" e "Questions to Root Out Fools", já podem ser auscultados no MySpace da banda. Promissores. Muito promissores.



E mais uma mão cheia de videoclipes f'esquinhos para fechar o lote...


Odawas - "Harmless Lover's Discourse"


Jay Reatard - "DOA"


Sebastien Grainger - "Who Do We Care For?"


Sebastien Grainger - "It's a Living"

handsome furs em portugal?! sim, handsome furs em portugal!!

Pulai de contentamento! O casal mais debochado do momento, também conhecido como Handsome Furs, anunciou recentemente não uma, mas sim duas actuações aqui no jardinzinho!
A primeira das quais acontece a 20 de Maio no Via Latina em Coimbra, e a segunda, a 22 de Maio, no MusicBox em Lisboa.

hoje e amanhã há...

mais um f'esquinho


Crystal Antlers - "Andrew"

está quase...

Já em pré-encomenda aqui.

something to write home about #28

Teith / Chord

Após ter ido ali praticar um ritual satânico em comemoração da 666ª posta no nAnha, passo a falar-vos de coisas mais sérias.
O Something to write home about de hoje é um dois em um. Duas bandas com um ponto em comum: Trevor de Brauw, guitarrista dos Pelican.
Os Teith já me tinham sido apresentados aqui há uns tempos atrás. Quanto aos Chord, só tive o prazer de os conhecer há uns três ou quatro dias, através de uma notícia que dava conta que a banda irá lançar o seu álbum de estreia, "Flora", pela Neurot Recordings a 12 de Maio. Mas não vos maço mais com converseta e convido-vos antes a tirarem as vossas próprias conclusões com uma visita aos MySpaces respectivos.

MySpace Teith
MySpace Chord
Site oficial Chord

primavídeos #666 - a 666ª posta deste blogue!

A Posta do Chifrudo!! MUAHAHAHAH!!


Sunn 0))) ao vivo no México
 

© nos Açores não há açores. | template Modern Clix criado por Rodrigo Galindez | adaptado para o blogger por Introblogger | modificado por ms. oaktree