March 31, 2008

é muita canção de amor junta...

The Magnetic Fields - "69 Love Songs" (2004, Domino)

Houve algo que sempre me fascinou neste álbum. Para além da óbvia conotação sexual que outras mentes perversas, como a minha, poderão daqui extrapolar, o que eu acho verdadeiramente notável é como alguém se dispõe a escrever 69 canções acerca de um único tema (diz-se que o objectivo inicial seriam as 100, mas o Sr. Merritt lá achou a tarefa demasiado megalómana, tendo-se ficado pelas 69. Pois...). Canções de amor, neste caso. Tal como poderiam ser canções de trabalho ou de dor de cotovelo.
A verdade é que apesar desta minha admiração por um trabalho desta envergadura, só recentemente (a primeira edição data de 1999) consegui adquirir este disco a um preço que eu considero bastante simpático, tendo em conta que é de um álbum triplo que falamos.
E, sendo muito sincera, é um álbum muito cansativo, acabando mesmo por se tornar monótono. Mas tal seria expectável num disco que tem como único leitmotif a canção de amor. 69 delas.
Acontece que o registo entre as faixas não é assim tão diversificado que permita manter o ouvinte interessado e a audição estimulante. O que é pena, uma vez que estes três discos contêm algumas muito boas canções, cujo efeito acaba por se perder no meio de tanta informação.
Assim, os efeitos da audição consecutiva deste triplo disco variam entre a ligeira sonolência e a indução de um estado semi-vegetativo. Alguns investigadores defendem ainda que a sua audição poderá provocar um desfasamento no contínuo espaço-tempo. A consumir em doses moderadas, portanto.
Vale pelo conceito. Peca pelo excesso. Sem dúvida que resultaria muito melhor como álbum único, que reunisse os melhores momentos destes três discos.